EP 67 Vuitton faz de tudo para separar Ana Carolina e Carlos

Episódio 67 de «Festa é Festa»

Seg, 26 jul 2021 21:50 TVI

Neste episódio

Vuitton (Beatriz Costa) apanha Jorge (Manuel Melo) sozinho e pergunta-lhe o que está a fazer com Ana Carolina (Beatriz Barosa). Ele diz que ela levou uma tampa de Carlos (Rodrigo Paganelli) e não podia deixá-la sozinha. Vuitton estranha que Carlos lhe tenha dado uma tampa, mas isso dá-lhe uma ideia que a deixa excitada. Louis (Valdemar Brito) até tem medo do que vem lá.

Carlos (Rodrigo Paganelli) envia uma sms a Ana Carolina (Beatriz Barosa) a avisar que não deve chegar a tempo. Jorge (Manuel Melo) vai falando sem parar, mas Ana Carolina não lhe presta grande atenção, pois está a ler a sms de Carlos. Vuitton (Beatriz Barosa) finge que não sabe do telemóvel e diz que o deve ter deixado quando esteve com Carlos, há pouco. Ana Carolina fica irritada e vai embora. Louis censura a irmã por ter mentido a Ana Carolina. Jorge tenta perceber o que se passa, mas os primos não lhe dizem nada. Fátima também estranha que Ana Carolina tenha ido embora à pressa e pergunta o que Louis e Vuitton aprontaram.

O Padre (Carlos M.Cunha) dá instruções sobre a organização da festa e Bino (Pedro Alves) interrompe-o para dizer que tem muita experiência. O Padre não gosta da interrupção e põe Bino no seu lugar. Ele fica envergonhado pela forma como o Padre lhe falou e insurge-se por São (Sílvia Rizzo) ter falado e o Padre não a ter mandado calar.

Manel (Vítor Norte) fica atrapalhado ao ver Corcovada (Maria do Céu Guerra) à espera dele para jantar à luz das velas. Ela diz que Peixoto (Vítor Emanuel) ainda não conseguiu resolver o problema do quadro elétrico e que foi à cidade comprar material. Manel avisa Corcovada sobre a relação de Peixoto com o dinheiro, mas ela diz saber bem com o que contar e por isso mandou Carlos com ele.

Bino (Pedro Alves) provoca São (Sílvia Rizzo). Tomé (Pedro Teixeira) decide intervir e pede para deixarem o Padre (Carlos M.Cunha) falar. O Padre fica agradado e Albino acusa Tomé de ser graxista. O Padre quer definir que música vão ter na festa e isso da aso a mais uma discussão entre os três ex-candidatos. O Padre suspira.

Carlos (Rodrigo Paganelli) liga a Ana Carolina (Beatriz Barosa) mas ela não atende. Ele liga de novo e fica frustrado por ela não atender. Carlos começa a escrever uma sms. Ana Carolina vê que Carlos lhe está a ligar, mas tira o som do telemóvel e não atende a chamada. Depois lê a sms que ele lhe envia, mas nem responde, pois acha que é tudo mentira. Ana Carolina está desgostosa.

A discussão prossegue, até que o Padre (Carlos M.Cunha) os manda calar e diz-lhes que vão ter que se habituar a trabalhar em conjunto, por muito que isso lhes custe a todos. O Padre dá instruções para marcarem uma reunião com a TVI, para escolherem os artistas que vêm à festa e deixa bem claro que terão de fazê-lo os três.

 Aida (Ana Guiomar) e Betinha (Ana Marta Contente) conversam enquanto dobram lençóis. Betinha conta à mãe o que Nelinha (Inês Herédia) armou lá na junta e como não pode fazer nada porque Bino (Pedro Alves) concordou. Aida fica toda entusiasmada com a palavra "empreendedora" e também quer ser. Elisabete garante que a mãe já o é e ela fica toda vaidosa. 

Corcovada (Maria do Céu Guerra) convida Manel (Vítor Norte) para darem um passeio amanhã, mas ele diz que tem de ir com o carro à revisão. Corcovada diz que vai então com Carlos (Rodrigo Paganelli) e pega no telemóvel.

Carlos (Rodrigo Paganelli) já estava quase a dormir quando o telemóvel toca. Ele desperta achando que é Ana Carolina (Beatriz Barosa), mas é Corcovada (Maria do Céu Guerra). Carlos fica furioso por ter de acompanhar Corcovada à cidade e nunca ter tempo livre para estar com Ana Carolina, mas tem de se conter e fazer-lhe a vontade. Quando desliga, Carlos atira com o telemóvel e resmunga. Florinda (Ana Brito e Cunha) fica preocupada.

Louis (Valdemar Brito) continua chateado por Vuitton (Beatriz Costa) ter mentido a Ana Carolina (Beatriz Barosa) e avisa-a que as mentiras duram pouco. Vuitton diz que o irmão lhe devia agradecer e aproveitar a oportunidade para convidar Ana Carolina para um programa qualquer. 

A família está a tomar o pequeno-almoço. Carlos  (Rodrigo Paganelli) está mal-encarado e Bino (Pedro Alves) está insuportavelmente entusiasmado por ir à TVI. Bino diz que vai reunir com Cristina Ferreira para escolher os músicos que vêm à festa da aldeia, mas até Florinda (Ana Brito e Cunha) sabe que não é assim que as coisas se processam. Florinda percebe que Carlos não está bem. 

Tomé (Pedro Teixeira) está a falar com Aida (Ana Guiomar) sobre a ida à TVI e ela assume que também vai. Aida já está a pensar na roupa que vai vestir e Tomé fica muito nervoso, sem saber como lhe dizer que ela não vai. Tomé lá consegue dizer-lhe, mas Aida não aceita e ele não tem coragem de lhe dizer mais nada. 

Fernando (Manuel Marques) acorda sobressaltado com São (Sílvia Rizzo) a abaná-lo e a perguntar-lhe se estava a dormir. São diz que precisa da ajuda de Fernando para estudar músicos, pois vai à TVI escolher os músicos para a festa e não quer fazer má figura. Fernando já está habituado a não ter um minuto de sossego. 

Bino (Pedro Alves) recebe uma chamada do primo Luís (Hugo Sousa) a dizer que vai à aldeia. Bino fica eufórico e convida-o para jantar. Bino conta a novidade a Betinha (Ana Marta Contente). 

Ana Carolina (Beatriz Barosa) está aborrecida por não haver eletricidade em casa e decide ir até à associação para carregar o telemóvel. Florinda (Ana Brito e Cunha) comenta que Corcovada (Maria do Céu Guerra) foi à cidade com Carlos (Rodrigo Paganelli) e Ana Carolina estranha não se ter apercebido de nada.


Sobre «Festa é festa»

Todos querem fazer um brilharete neste festejo, com vista à herança da idosa, não se poupando a esforços (tal como fazem há mais de vinte anos, mas a idosa não há maneira de se finar...), nomeadamente Albino, o figurão da aldeia, que é, nada mais, nada menos, que o Presidente da Junta. Presidente esse que é também o Presidente da Comissão de Festas. E o Presidente da Casa do Povo. E do Clube de Hóquei em Patins. E coveiro. E tudo, basicamente. Um pavão, que se acha o Marcelo da Aldeia. 

Assim, a festa que, supostamente, seria um motivo de concórdia entre toda a população, vai ser tudo menos isso, começando pela sua organização. Isto porque Tomé (dono do café da aldeia e o “Correio da Manhã” de serviço no que toca a coscuvilhices), o grande rival de Albino desde sempre, vai disputar com ele a presidência da comissão de festas, visto o ano passado competir-lhe a ele, mas a festa não se ter realizado por causa da pandemia. Só que Albino jamais lhe dará essa missão num ano tão simbólico, que pode ser o último de Corcovada. Mas, também, porque cedo recebem na aldeia a notícia de que a TVI vai transmitir a festa em direto. E é aqui que toda a aldeia vai querer dar o seu melhor, defendendo cada um dos intervenientes os seus interesses, mesmo que isso colida de frente com os dos outros. 

Também com vista na herança da idosa, em Lisboa, o neto falido da mesma (um “tio” lisboeta, meio pedante) tem o plano de enviar a sua filha (bisneta da idosa) para a aldeia, no sentido de conquistar e construir uma relação com a idosa, mas com a desculpa da filha ir “curar-se” de um enorme desgosto amoroso que acabou de ter, visto o namorado tê-la trocado pela sua melhor amiga. 

E eis que, quando uma jovem lisboeta, altamente cosmopolita e tecnológica... e queque, cai contrariada naquilo que considera um fim-de-mundo, nomeadamente por não ter shoppings, lifestyle e 4G só de vez em quando... 

Tem tudo para correr mal, não fosse a meio do processo encantar-se por um jovem aldeão, que pouco ou nada conhece fora daquela aldeia. Ou seja, duas pessoas de dois mundos completamente diferentes e antagónicos. Este jovem é filho de Albino, mas a antítese do pai. É um rapaz simplório, acólito, trabalhador, mas com uma falta de jeito (e experiência) gritante com as mulheres. Todavia, irá desde cedo sentir o seu coração a palpitar por Ana Carolina. 

Contudo, a chegada de uma família de emigrantes “filhos da terra”, vai agitar, não só a aldeia, como também o coração destes dois jovens, já que dessa família fazem parte os jovens irmãos gémeos, falsos, Louis e Vuitton, um rapaz e uma rapariga que irão despertar paixões em Ana Carolina e Carlos, respetivamente, criando dois triângulos amorosos tão surpreendentes, como inesperados. 

Inesperados serão também os acontecimentos que se sucederão nesta aldeia, cujos habitantes teimam em fazer de cada dia uma “aventura” diferente, com peripécias e conflitos, que parecem não ter fim. 

De forma humorada, pretende-se com Festa é Festa fazer um retrato do Portugal real, das raízes e cultura do seu povo, ficcionando temas do dia-a-dia da vida das pessoas, num universo tão português, como é a aldeia e o seu evento maior: a festa. 

E é assim, que esta aldeia tão portuguesa verá retratada, de uma forma totalmente abrangente e transversal, todos os temas das sociedades atuais, personalizado em pessoas que “se não existissem, tinham de ser inventadas”. 
Foi o caso...  

Ficha Técnica

Título Original: Vuitton faz de tudo para separar Ana Carolina e Carlos
Categoria: Novela nacional
Favoritos

Partilhar

Últimos Episódios

Populares