EP 136 Tomé e Sôtora com clima romântico

Episódio 136.

Ter, 12 out 2021 21:45 TVI

Neste episódio

Em «Festa é Festa», Aida (Ana Guiomar) continua desconsolada com o que lhe está a acontecer, mas António (Luís Simões) diz-lhe que se calhar até é melhor assim, porque Aida também não tinha vida para ser presidente da Junta. Aida fica surpreendida com aquela opinião e pede-lhe para explicar melhor.

Corcovada (Maria do Céu Guerra) tenta agora pegar em Ana Carolina (Beatriz Barosa), mas não está fácil. Florinda (Ana Brito e Cunha) é atraída pelo barulho e fica surpreendida por Ana Carolina já ter chegado, revelando que já sabia que ela vinha. Corcovada finge-se chateada por Florinda não lhe ter contado, mas na verdade adora surpresas. Carlos (Rodrigo Paganelli) olha para Ana Carolina hipnotizado e sai para comprar o que falta. 

Tomé (Pedro Teixeira) e Isabel (Marta Melro) continuam à conversa, bem-dispostos e sorridentes. Tomé parece já estar mais à vontade e diz que na Bela Vida é só gente boa, tirando um ou outro e não perde a oportunidade de falar mal de Albino (Pedro Alves). Fátima (Marta Andrino) repara nos risinhos deles e fica desconfiada.

António explica a sua teoria a Aida e ela acha que até faz sentido. António defende que a loja podia ficar prejudicada, porque as pessoas que não votassem em Aida iam deixar de vir ali fazer compras. Aida fica surpreendida com o raciocínio de António e diz-lhe que está a pensar bem. António divaga e diz que ele é que podia candidatar-se.

Abel (Júlio César) está a passear pela aldeia, quando ouve barulho vindo do jardim de Corcovada e espreita para ver o que se passa. Corcovada vê Abel e ele tenta esconder-se porque acha que ela é maluca.

Isabel vai pagar o chá, mas Tomé diz-lhe que é por conta da casa. Fátima revira os olhos. Isabel diz que gostou muito daquele bocadinho e Tomé fica a olhar para ela, meio enlevado. Fátima fica chocada ao perceber que há um clima entre eles. Isabel vê que tem imensas chamadas não atendidas de Mário (Pedro Giestas).

Corcovada vai ter com Abel e ele finge que não a tinha visto. Corcovada oferece-lhe uma caipirinha e ele fica escandalizado. Corcovada acusa-o de estar a espreitar para sua casa, mas Abel nega veemente. Ele acaba por se engasgar e Corcovada pede a Manel (Vítor Norte) para o levar para o jardim.

Isabel chega ao consultório e Mário está lá à sua espera. Ele quer saber porque motivo ela não lhe atendeu o telemóvel e Isabel avisa-o que não admite que ele lhe faça esperas no local de trabalho. Os pacientes olham-nos, mas disfarçam.

Ana Carolina ajuda Carlos com as compras e os dois ficam constrangidos com a proximidade. Florinda pede ajuda porque um senhor está a sentir-se mal no jardim.

Mário (Pedro Giestas) insiste em falar com Isabel, mas ela tenta explicar-lhe que não disse nada porque não lhe apetecia, pois também precisa de algum tempo só para si. Isabel fica com pena de Mário e pergunta-lhe o que queria afinal. Mário quer contar-lhe como correu a ida à Junta e senta-se a falar. Isabel fica incrédula, pois tem pacientes à espera.

Florinda está a dar um copo de água com açúcar a Abel, mas ele recusa-se a beber, para não lhe disparar a glicose. Corcovada insiste que uma caipirinha resolvia aquilo e diz que ele tem uma cor que parece um esquimó. Abel recusa-se a tirar a máscara, apesar de já ter sido vacinado com todas as marcas. Manel chama os outros à parte para lhes dizer algo.

Isabel ouve Mário com um ar enfadado, mas ele está tão entusiasmado a contar a sua história, que nem repara. Mário diz que Rita também adorou a ideia dele e Isabel passa-se. Isabel começa a pôr Mário na rua e diz-lhe para passar a ligar sempre para Rita, já que ela lhe atende as chamadas.

Jorge (Manuel Melo) está encantado com o seu novo telemóvel. Tomás (João Lima) chega e mostra que também comprou um. Jorge e Tomás desafiam-se para um duelo.

Manel acha que Abel pode ser um ladrão e que fingiu sentir-se mal, para poder entrar ali em casa. Olham todos desconfiados para Abel e este olha de lado para os outros.

Carlos e Ana Carolina ficam a olhar um para o outro. Ana Carolina acha que Carlos está diferente e ele diz ter a mesma impressão dela. Carlos pergunta a Ana Carolina o que é que está ali a fazer outra vez. Ana Carolina revela que estava com saudades, pois ligou-se muito à avó e à Bela Vida. Carlos não fica muito convencido. Ficam a olhar um para o outro com alguma mágoa e percebe-se que ainda há ali amor.

Abel refila com Manel por este suspeitar que ele seja um ladrão. Florinda tenta acalmar os ânimos e Corcovada assiste divertida. Depois de um bate boca entre Abel e Manel, Corcovada decide convidar Abel para o churrasco. Ficam todos surpreendidos.

Mário entra a falar ao telemóvel num tom muito sério e entusiasmado, o que chama a atenção de Tomé. Fátima diz que aquele é o marido da Sôtora e Tomé fica mal impressionado. Tomé percebe que ele está a falar com uma mulher e acha que é uma amante.

Abel (Júlio César) fica horrorizado com o convite de Corcovada (Maria do Céu Guerra) e Manel (Vítor Norte) não quer acreditar que vai ter de levar com ele ao jantar. Corcovada quer saber se Abel fica ou não, mas ele já decidiu que não, pois não pode comer comida com colesterol e vai andando para casa a pé, para dar os passos que lhe faltam. Corcovada pede mais duas caipirinhas.

Alice (Telma Cardoso) vai à mercearia com o pretexto de saber se já há maçãs reinetas, mas quando António (Luís Simões) se aproxima para atendê-la, Aida (Ana Guiomar) aparece toda empertigada e fala para se exibir. Alice dá a entender que preferia que fosse António a atendê-la, mas Aida diz que quem manda ali é ela.


Sobre «Festa é festa»

Todos querem fazer um brilharete neste festejo, com vista à herança da idosa, não se poupando a esforços (tal como fazem há mais de vinte anos, mas a idosa não há maneira de se finar...), nomeadamente Albino, o figurão da aldeia, que é, nada mais, nada menos, que o Presidente da Junta. Presidente esse que é também o Presidente da Comissão de Festas. E o Presidente da Casa do Povo. E do Clube de Hóquei em Patins. E coveiro. E tudo, basicamente. Um pavão, que se acha o Marcelo da Aldeia. 

Assim, a festa que, supostamente, seria um motivo de concórdia entre toda a população, vai ser tudo menos isso, começando pela sua organização. Isto porque Tomé (dono do café da aldeia e o “Correio da Manhã” de serviço no que toca a coscuvilhices), o grande rival de Albino desde sempre, vai disputar com ele a presidência da comissão de festas, visto o ano passado competir-lhe a ele, mas a festa não se ter realizado por causa da pandemia. Só que Albino jamais lhe dará essa missão num ano tão simbólico, que pode ser o último de Corcovada. Mas, também, porque cedo recebem na aldeia a notícia de que a TVI vai transmitir a festa em direto. E é aqui que toda a aldeia vai querer dar o seu melhor, defendendo cada um dos intervenientes os seus interesses, mesmo que isso colida de frente com os dos outros. 

Também com vista na herança da idosa, em Lisboa, o neto falido da mesma (um “tio” lisboeta, meio pedante) tem o plano de enviar a sua filha (bisneta da idosa) para a aldeia, no sentido de conquistar e construir uma relação com a idosa, mas com a desculpa da filha ir “curar-se” de um enorme desgosto amoroso que acabou de ter, visto o namorado tê-la trocado pela sua melhor amiga. 

E eis que, quando uma jovem lisboeta, altamente cosmopolita e tecnológica... e queque, cai contrariada naquilo que considera um fim-de-mundo, nomeadamente por não ter shoppings, lifestyle e 4G só de vez em quando... 

Tem tudo para correr mal, não fosse a meio do processo encantar-se por um jovem aldeão, que pouco ou nada conhece fora daquela aldeia. Ou seja, duas pessoas de dois mundos completamente diferentes e antagónicos. Este jovem é filho de Albino, mas a antítese do pai. É um rapaz simplório, acólito, trabalhador, mas com uma falta de jeito (e experiência) gritante com as mulheres. Todavia, irá desde cedo sentir o seu coração a palpitar por Ana Carolina. 

Contudo, a chegada de uma família de emigrantes “filhos da terra”, vai agitar, não só a aldeia, como também o coração destes dois jovens, já que dessa família fazem parte os jovens irmãos gémeos, falsos, Louis e Vuitton, um rapaz e uma rapariga que irão despertar paixões em Ana Carolina e Carlos, respetivamente, criando dois triângulos amorosos tão surpreendentes, como inesperados. 

Inesperados serão também os acontecimentos que se sucederão nesta aldeia, cujos habitantes teimam em fazer de cada dia uma “aventura” diferente, com peripécias e conflitos, que parecem não ter fim. 

De forma humorada, pretende-se com Festa é Festa fazer um retrato do Portugal real, das raízes e cultura do seu povo, ficcionando temas do dia-a-dia da vida das pessoas, num universo tão português, como é a aldeia e o seu evento maior: a festa. 

E é assim, que esta aldeia tão portuguesa verá retratada, de uma forma totalmente abrangente e transversal, todos os temas das sociedades atuais, personalizado em pessoas que “se não existissem, tinham de ser inventadas”. 
Foi o caso...  

Ficha Técnica

Título Original: Tomé e Sôtora com clima romântico
Categoria: Novela nacional
Favoritos

Partilhar

Últimos Episódios

Populares