EP 138 O clima aquece entre os casais de Bela Vida

Episódio 138.

Qui, 14 out 2021 21:55 TVI

Neste episódio

Em «Festa é Festa», Albino explica que valores mais altos se levantaram e que Mário (Pedro Giestas), jornalista, vai trazer o progresso à Bela Vida. Bino pigarreia e diz ter um comunicado importante para fazer.  Albino diz que, tal como a outros grandes génios, a viagem a Paris fez despertar a sua criatividade e teve uma ideia que vai colocar a Bela Vida na rota internacional dos presépios vivos. Corcovada e Ana Carolina rirem-se. Manel está cada vez mais confuso. Florinda e Carlos estão incrédulos.

São (Sílvia Rizzo) e Fernando (Manuel Marques) chegam a casa. Ela vem a reclamar da viagem que fizeram e queixa-se que mal tinha espaço para se mexer. São manda Fernando ir descarregar o carro, mas ele diz que faz isso amanhã. São acha melhor fazer já hoje, porque podem roubar as coisas. Fernando diz que já vai. Fernando (Manuel Marques) está a desfazer as malas e a arrumar a roupa no roupeiro, enquanto São (Sílvia Rizzo) está com um ar concentrado a pensar na campanha eleitoral. São faz planos para começar a fazer obras na aldeia logo no dia a seguir às eleições. Fernando lembra que ele é que é o presidente, mas São continua com um ar sonhador.

Florinda (Ana Brito e Cunha) fica desconsolada, pois achou que Albino ia falar de outra coisa qualquer. Corcovada fica maravilhada com a ideia do presépio vivo e quer saber mais pormenores. Albino fica todo vaidoso por Corcovada ter gostado da sua ideia.

Tomé (Pedro Teixeira) anuncia que alugou a sua salinha no café. Aida (Ana Guiomar) e Elisabete (Ana Marta Contente) ficam muito admiradas, pois Tomé (Pedro Teixeira) sempre cuidou daquela sala como um local sagrado e nunca deixou lá entrar ninguém.Aida está orgulhosa de Tomé e aplaude-o com entusiasmo. Elisabete aplaude com desdém, porque não percebe onde está a espetacularidade de alugar uma salinha. Aida rejubila por ser mulher do senhorio da nova estação noticiosa da aldeia.

O ambiente tranquilo desmorona, depois de Alice (Telma Cardoso) sugerir partilhar o consultório com Isabel (Marta Melro). Esta acha impensável isso acontecer e Tomás (João Lima) aproveita logo para a atacar e acusa-a de não colaborar. Tomás compara Isabel a Rita e mais uma vez Isabel não gosta. Isabel pergunta porque é que Mário se separou de Rita, já que ela era tão perfeita.

Albino já está a imaginar como será o presépio e vai divagando sobre o assunto. Corcovada e Ana Carolina (Beatriz Barosa) gostam da ideia. Carlos (Rodrigo Paganelli) pergunta se aquilo não ficará caro e Albino diz que as grandes obras não se fazem a fazer contas ao dinheiro. Florinda antevê sarilhos.

Aida é o entusiasmo em pessoa e começa a sonhar com uma rubrica no canal. Tomé fica baralhado, mas quando percebe o que Aida está a dizer, também sonha em dar uma entrevista enquanto treinador de hóquei. Elisabete (Ana Marta Contente) não tem paciência para os pais e vai embora.

Fátima já contou o que ouviu da conversa de Tomé e Mário. Jorge (Manuel Melo) já está todo entusiasmado com a ideia de irem ter uma rádio e começa a improvisar como locutor. António diz-lhe que até tem jeito e Fátima ralha com António por estar a incentivar Jorge.

Aida continua toda entusiasmada com a possibilidade de poder cozinhar em direto no novo canal regional e Tomé está todo orgulhoso do negócio que fez. Aida afirma que o pregresso a deixa toda acesa e Tomé pergunta se vão lá para dentro brincar.

António conta a Fátima e Jorge que Aida se pegou com Alice. Ele explica que Alice queria ser atendida por ele, mas Aida fez questão de ser ela a atendê-la, e afirmou que no estabelecimento dela, manda ela. Fátima percebe que se avizinham tempos difíceis e Aida ainda não viu como a Sôtora olha para o seu marido.

Corcovada (Maria do Céu Guerra) vai ao quarto da bisneta para lhe dar um beijo de boa noite e Ana Carolina mostra-lhe os vídeos que estava a ver no tik tok. Corcovada fica a ver muito interessada.

Florinda ia deitar-se, mas vê Carlos na sala e vai ter com ele. Carlos diz que está sem sono e Florinda percebe que deve ser por causa de Ana Carolina. Florinda aconselha o filho a dar tempo ao tempo, porque as questões de amor são mesmo assim.

Fernando (Manuel Marques) já está preparado para dormir, quando São (Sílvia Rizzo) aparece toda "acesa". Fernando tenta escapar-se e desculpa-se com os miúdos, mas São lembra que os miúdos não estão em casa. Fernando diz que está com muitas saudades deles e que vai dormir para não pensar neles, mas São decide ligar-lhes para matarem as saudades.

Florinda deita-se e Albino percebe que ela está irritada. Florinda confessa que tem vergonha dele por ser mentiroso. Albino defende-se e diz que se limita a dizer a verdade mais conveniente em cada situação. Florinda sabe que a ideia do presépio vivo pode ter sido de qualquer um dos três e que Albino não devia gabar-se de ser apenas sua.

Tomé e Aida estão a tomar o pequeno-almoço, quando Isabel (Marta Melro)e Mário entram no café. Eles levantam-se de um pulo e usam todos os salamaleques possíveis. Convidam-nos a sentarem-se com eles e conversam sobre o aluguer da salinha, trocam elogios e Aida fala sobre si. Aida olha de lado para Isabel e ainda não percebeu que ela acha piada a Tomé.

Carlos e Ana Carolina encontram-se na cozinha e ela repara que ele não deve ter dormido muito bem. Carlos confessa que há coisas que lhe tiram o sono e ficam a olhar um para o outro.

Albino pergunta a Peixoto (Vítor Emanuel) se tem as ferramentas a jeito para começarem as obras na Junta. Peixoto é apanhado de surpresa e diz que que já estão muito em cima da hora, mas dependendo da verba disponibilizada, talvez ainda consiga fazer alguma coisa. Albino percebe que vai ter de desembolsar bom dinheiro.


Sobre «Festa é festa»

Todos querem fazer um brilharete neste festejo, com vista à herança da idosa, não se poupando a esforços (tal como fazem há mais de vinte anos, mas a idosa não há maneira de se finar...), nomeadamente Albino, o figurão da aldeia, que é, nada mais, nada menos, que o Presidente da Junta. Presidente esse que é também o Presidente da Comissão de Festas. E o Presidente da Casa do Povo. E do Clube de Hóquei em Patins. E coveiro. E tudo, basicamente. Um pavão, que se acha o Marcelo da Aldeia. 

Assim, a festa que, supostamente, seria um motivo de concórdia entre toda a população, vai ser tudo menos isso, começando pela sua organização. Isto porque Tomé (dono do café da aldeia e o “Correio da Manhã” de serviço no que toca a coscuvilhices), o grande rival de Albino desde sempre, vai disputar com ele a presidência da comissão de festas, visto o ano passado competir-lhe a ele, mas a festa não se ter realizado por causa da pandemia. Só que Albino jamais lhe dará essa missão num ano tão simbólico, que pode ser o último de Corcovada. Mas, também, porque cedo recebem na aldeia a notícia de que a TVI vai transmitir a festa em direto. E é aqui que toda a aldeia vai querer dar o seu melhor, defendendo cada um dos intervenientes os seus interesses, mesmo que isso colida de frente com os dos outros. 

Também com vista na herança da idosa, em Lisboa, o neto falido da mesma (um “tio” lisboeta, meio pedante) tem o plano de enviar a sua filha (bisneta da idosa) para a aldeia, no sentido de conquistar e construir uma relação com a idosa, mas com a desculpa da filha ir “curar-se” de um enorme desgosto amoroso que acabou de ter, visto o namorado tê-la trocado pela sua melhor amiga. 

E eis que, quando uma jovem lisboeta, altamente cosmopolita e tecnológica... e queque, cai contrariada naquilo que considera um fim-de-mundo, nomeadamente por não ter shoppings, lifestyle e 4G só de vez em quando... 

Tem tudo para correr mal, não fosse a meio do processo encantar-se por um jovem aldeão, que pouco ou nada conhece fora daquela aldeia. Ou seja, duas pessoas de dois mundos completamente diferentes e antagónicos. Este jovem é filho de Albino, mas a antítese do pai. É um rapaz simplório, acólito, trabalhador, mas com uma falta de jeito (e experiência) gritante com as mulheres. Todavia, irá desde cedo sentir o seu coração a palpitar por Ana Carolina. 

Contudo, a chegada de uma família de emigrantes “filhos da terra”, vai agitar, não só a aldeia, como também o coração destes dois jovens, já que dessa família fazem parte os jovens irmãos gémeos, falsos, Louis e Vuitton, um rapaz e uma rapariga que irão despertar paixões em Ana Carolina e Carlos, respetivamente, criando dois triângulos amorosos tão surpreendentes, como inesperados. 

Inesperados serão também os acontecimentos que se sucederão nesta aldeia, cujos habitantes teimam em fazer de cada dia uma “aventura” diferente, com peripécias e conflitos, que parecem não ter fim. 

De forma humorada, pretende-se com Festa é Festa fazer um retrato do Portugal real, das raízes e cultura do seu povo, ficcionando temas do dia-a-dia da vida das pessoas, num universo tão português, como é a aldeia e o seu evento maior: a festa. 

E é assim, que esta aldeia tão portuguesa verá retratada, de uma forma totalmente abrangente e transversal, todos os temas das sociedades atuais, personalizado em pessoas que “se não existissem, tinham de ser inventadas”. 
Foi o caso...  

Ficha Técnica

Título Original: O clima aquece entre os casais de Bela Vida
Categoria: Novela nacional
Favoritos

Partilhar

Últimos Episódios

Populares