EP 83 Célia e Zeca discutem na festa de Joana

Seg, 28 dez 2020 22:50 TVI

Neste episódio

Ema (Ana Varela) afirma que não sabe o que fazer à sua vida e Zeca (Graciano Dias) pede-lhe que fiquem juntos, quando são interrompidos por Ulisses (Nuno Homem de Sá), que aconselha Ema a voltar para casa para que Raul (Sérgio Praia) não desconfie de nada.

Ema entra em casa e David (Jorge Albuquerque) conta-lhe que está a tratar da compra da Editora e que, uma vez que Raul não quer vender a sua parte, ele vai vender metade da sua quota para garantir o negócio e retirar o poder a Raul.

Joana (Catarina ebelo) é surpreendida pelos amigos que organizaram uma festa surpresa. Zeca, Ulisses e Eça (Nuno Pardal) entram e ficam surpreendidos com a animação. Todos cantam os Parabéns a Joana. Estela (Isabel Figueira) chora de emoção e Ulisses apressa-se a oferecer-lhe um lenço.

Zeca felicita Joana e abraça-a. Célia (Sofia Ribeiro) entra e fica furiosa ao ver a festa e o abraço entre Zeca e Joana. Para espanto de todos, Célia afirma que a festa acabou.

Raul censura Ema, por ouvi-la cantar. Ela não se deixa intimidar e canta mais alto. Furioso, Raul dá-lhe um murro na cara.

Todos ficam em choque com a atitude de Célia e Zeca pergunta-lhe se vai querer, mesmo, destruir o dia de aniversário da filha.

Raul é apanhado de supresa quando Ema avança para ele e o empurra, sublinhando que está farta de não ter liberdade e que não quer que ele volte a aparecer-lhe à frente.

Célia pede desculpa pela atitude e todos suspiram de alivio. Fanã (Salvador Nery) começa a cantar e Joana abraça a mãe, a agradecer-lhe por não ter acabado com a festa. Zeca pergunta às irmãs o que se passou ali, pois não entendeu o comportamento de Célia.

Filomena (Sofia Nicholson) conta que foi despedida por ter ido a uma consulta e Santos Costa (Ricardo Castro) diz que vai arranjar forma de a ajudar.

Vanda (Fernanda Serrano) liga para Ema e fica chocada quando a amiga lhe diz que teve uma discussão com Raul que acabou mal.

Santos Costa conta a Rita (Beatriz Barosa) que David arranjou um comprador para a editora e afirma que vai falar com ele para impedir o despedimento de Filomena.

Vanda fica cada vez mais preocupada com o estado de Ema e afirma que vai levá-la ao hospital ou à polícia. Ema nega e abre a porta a David e Zequinha (Diogo Dourguette), que ficam em choque com o estado dela.

Zeca fica boquiaberto quando percebe que Ema acusou Célia de ter trocado os bebés e que Joana pode ser filha deles. Zeca abraça-se a Eça a chorar, compulsivamente. Eça tenta perceber o que se passa com o amigo.

Estela está animada com a conversa sobre literatura com Ulisses, mas é interrompida por Célia que lhe diz que Zeca percebeu que Joana pode ser sua filha.

Ema recusa apresentar queixa na polícia porque depende de Raul para pagar os tratamentos do filho. David insiste que ela tome uma atitude.

Joana agradece a Fred (Filipe Matos) por tudo o que ele fez por ela, deixando Diana (Matilde Reymão) com ciúmes.

Sandro (Miguel Bogalho) e Olga (Helena Costa) saem do restaurante. Sandro declara-se a Olga e ela corresponde ao beijo que ele lhe dá.

Vanda ameaça Raul, dizendo que não vão tolerar que ele volte a agredir Ema,

Maria Helena (Maria Emília Correia) entra em casa e exige saber o que se passa.

Eça fica boquiaberto quando Zeca lhe conta que Joana pode ser a sua filha com Ema.


Sobre «Amar Demais»

Há quem esteja disposto a dar a vida, ou o seu tempo de vida, para salvar alguém, por amar mais... É assim Zeca, o protagonista. Uma pessoa dotada de valores, com um enorme sentido de justiça, que nem sempre escolhe o caminho provável para ajudar quem ama, mas que nunca tem dúvidas sobre o que é prioritário: proteger os seus. É isso que o leva à prisão, quando aceita dar-se como culpado por um crime que não cometeu em nome de outrem para salvar a vida da sua mãe.

Por a amar demais, Zeca abdica da sua própria liberdade, e do amor que Ema sente por ele. E quando percebe que foi enganado e que o seu sacrifício foi em vão, em vez de se revoltar, é resiliente. E prepara-se para o que será́ o dia do grande embate: o momento em que vai poder fazer justiça por tudo o que passou.

Zeca fica preso durante mais de 15 anos, mas quando sai está determinado a descobrir quem foram as pessoas que o traíram. Quer fazer justiça pelos anos perdidos, mas quer também provar a sua inocência. Quer ter o direito de recomeçar de novo, com a ficha limpa. E se para isso tiver de fazer algo que não deve no caminho, tudo bem: a pena já a cumpriu por antecipação.

Um homem que sabe bem o que quer, sem que isso o torne calculista, frio ou incapaz de sentir ou amar... Talvez isso seja o seu lado feminino a manifestar-se, fruto de ter crescido com uma mãe e quatro irmãs. Afinal, não dizem que as mulheres são feitas para aguentar todo o tipo de provações? Zeca é uma versão de calças destas mulheres lutadoras. O filho que se sacrifica pela mãe. O irmão protetor. O homem que pela mulher que ama roda o mundo. O pai que pela filha se descobre um novo homem, capaz da força de um leão.

Zeca é um hino às mulheres que o educaram, porque o mundo em que vivemos pode ser considerado ainda dos homens, mas é do ventre das mulheres que eles nascem, são elas quem os educam, são a sua maior influência. O que mostra que na realidade o mundo está nas mãos das mulheres, a quem compete fazer dos seus filhos: homens tolerantes, homens amorosos que as amem e respeitem acima de tudo, que as tratem como iguais

Ficha Técnica

Título Original: Célia e Zeca discutem na festa de Joana
Categoria: Novela nacional
Favoritos

Partilhar

Últimos Episódios

Populares