EP 88 Célia vive novo terror

Seg, 4 jan 2021 22:55 TVI

Neste episódio

Joana (Catarina Rebelo) não entende porque razão Ema (Ana Varela) armou toda aquela confusão e estranha que Estela (Isabel Figueira) a defenda. Célia (Sofia Ribeiro) interrompe a conversa e fica aliviada quando Joana lhe conta que o resultado do teste de ADN foi negativo.

Ema chega ao bairro acompanhada por Zeca (Graciano Dias).

Evelina (Susana Arrais) aparece escoltada pelos seguranças, Arnaldo (João Lagarto) e pelo editor e grava um vídeo para as suas redes sociais, a afirmar a sua inocência.

Joana fica surpreendida quando percebe que Célia já arranjou trabalho como secretária.

Ema chega acompanhada por Zeca e pede desculpa a Joana e Célia.

Evelina continua a gravar o vídeo e indica que está a ser vítima de uma campanha de difamação.

Ema pede desculpa e oferece novamente o emprego a Célia, mas esta não aceita e vinca que não precisa da caridade dela. Ema informa que vai enterrar as ossadas que trouxe do Faial numa vala comum, por ser um procedimento normal quando os cadáveres não são identificados, e Célia tenta disfarçar o seu pânico.

Rita (Beatriz Barosa) acusa Evelina de ter roubado o livro de cima da sua secretária. Rita reconhece Arnaldo e acusa-o de ser um pato bravo que comprou os livros de Evelina que estavam encalhados na editora.

Célia tenta disfarçar a emoção ao falarem das ossadas da sua filha e afirma que o pedido de desculpas de Ema não apaga o que aconteceu.

Peter (Joaquim Nicolau) não aceita que Raul (Sérgio Praia) fique em sua casa, mas Rute (Ana Guiomar) convence-o a mudar de ideias.

Vanda (Fernanda Serrano) acaba de se despedir da comitiva real e é bastante desagradável com as suas funcionárias. Gabriel (Ricardo Carriço) liga a Vanda e diz-lhe que teve uma ideia em relação a Zeca.

Zeca e Estela (Isabel Figueira) tentam defender Ema das acusações de Célia. Ema fica com um nó na garganta, quando Célia lhe diz que nenhuma mãe merece andar à procura de uma filha que nunca vai encontrar.

Rita comenta que encontrou Evelina no bairro. Ulisses (Nuno Homem de Sá) fica furioso e Eça (Nuno Pardal) tenta impedi-lo de ir acertar contas com ela.

Ema sai arrasada e Zeca vai atrás dela. Joana acusa Célia de ter sido cruel com Ema e também vai atrás dela.

Ema está muito abalada e afirma que tem de aceitar que a sua filha morreu. Joana pede desculpa pelos excessos de Célia.

Zeca vê Evelina no bairro e avança em direção dela. Ema fica perturbada quando vê Arnaldo e afasta-se.

Zeca discute com Evelina e Arnaldo avisa-o para se manter longe dela.

Célia mostra-se revoltada com o facto das ossadas da sua filha estarem prestes a ser enterradas numa vala comum e afirma que vai resgatá-las.


Sobre «Amar Demais»

Há quem esteja disposto a dar a vida, ou o seu tempo de vida, para salvar alguém, por amar mais... É assim Zeca, o protagonista. Uma pessoa dotada de valores, com um enorme sentido de justiça, que nem sempre escolhe o caminho provável para ajudar quem ama, mas que nunca tem dúvidas sobre o que é prioritário: proteger os seus. É isso que o leva à prisão, quando aceita dar-se como culpado por um crime que não cometeu em nome de outrem para salvar a vida da sua mãe.

Por a amar demais, Zeca abdica da sua própria liberdade, e do amor que Ema sente por ele. E quando percebe que foi enganado e que o seu sacrifício foi em vão, em vez de se revoltar, é resiliente. E prepara-se para o que será́ o dia do grande embate: o momento em que vai poder fazer justiça por tudo o que passou.

Zeca fica preso durante mais de 15 anos, mas quando sai está determinado a descobrir quem foram as pessoas que o traíram. Quer fazer justiça pelos anos perdidos, mas quer também provar a sua inocência. Quer ter o direito de recomeçar de novo, com a ficha limpa. E se para isso tiver de fazer algo que não deve no caminho, tudo bem: a pena já a cumpriu por antecipação.

Um homem que sabe bem o que quer, sem que isso o torne calculista, frio ou incapaz de sentir ou amar... Talvez isso seja o seu lado feminino a manifestar-se, fruto de ter crescido com uma mãe e quatro irmãs. Afinal, não dizem que as mulheres são feitas para aguentar todo o tipo de provações? Zeca é uma versão de calças destas mulheres lutadoras. O filho que se sacrifica pela mãe. O irmão protetor. O homem que pela mulher que ama roda o mundo. O pai que pela filha se descobre um novo homem, capaz da força de um leão.

Zeca é um hino às mulheres que o educaram, porque o mundo em que vivemos pode ser considerado ainda dos homens, mas é do ventre das mulheres que eles nascem, são elas quem os educam, são a sua maior influência. O que mostra que na realidade o mundo está nas mãos das mulheres, a quem compete fazer dos seus filhos: homens tolerantes, homens amorosos que as amem e respeitem acima de tudo, que as tratem como iguais

Ficha Técnica

Título Original: Célia vive novo terror
Categoria: Novela nacional
Favoritos

Partilhar

Últimos Episódios

Populares