EP 2 O passado negro de Ema

Episódio 2 de «Amar Demais».

Ter, 15 set 2020 21:40 TVI

Neste episódio

Dias depois, Zeca fica em choque ao ler a notícia da morte do dono das Edições Benvindo e recebe com Nene o carro acidentado no ferro velho.

Zeca fica eufórico ao receber um telefonema de Salomé (Madalena Brandão) com uma proposta de emprego. Zeca vê algo a brilhar dentro do carro de Duarte e encontra a chave do cofre, embora não faça ideia a quem ou onde pertença. Nené fica curioso com a chave e Zeca acha que deviam ver os registos do carro para saberem a quem pertencia.

Peter (Joaquim Nicolau) está nervoso por Raul não ter descoberto onde está a chave do cofre e lembra-se de que pode estar no carro, já que o acidente foi pouco tempo depois de Duarte ter enviado a foto do cofre. Peter quer descobrir em que sucata está o carro.

Zeca está muito agradecido a Salomé por lhe ter arranjado um emprego, mas fica desapontado ser um trabalho no bar. Eela fica satisfeita por o ter ajudado.

Zeca cumpre diferentes tarefas, Ferreira gostou do seu trabalho e contrata-o. Zeca fica satisfeito por ter conseguido o emprego, quando recebe uma chamada de Nené que lhe dá a morada do antigo proprietário do carro e dirige-se para a casa e toca à campainha.

Ema discute com Raul por ele querer cortar o financiamento ao instituto e ela garante que se Duarte estivesse vivo, não iria permitir. Raul reconhece Zeca do incidente na editora e fica irritado, mas Zeca indica que foi ali por causa de um assunto relacionado com a morte de Duarte.

Ema avisa Vanda (Fernanda Serrano) que tentou impedir que Raul cortasse o financiamento ao instituto, mas que ele está determinado em fazê-lo. Vanda pede-lhe, encarecidamente, para que ela reverta a situação.

Zeca tenta explicar que tem uma coisa que pode ser de grande valor para a família de Duarte, mas é interrompido por Zequinha (Diogo Dourguette), que corre a abraçá-lo. Raul pede desculpa pelo comportamento do filho e explica que ele tem problemas, deixando Zeca desagradado com a forma como Raul fala do filho.

Raul fica irritado quando percebe que Zeca não trouxe o tal objeto do pai e acha que ele se quer aproveitar da família. Zeca tenta explicar, mas ao ouvir a voz de Ema, foge.

Raul desconfia que Zeca pode estar relacionado com a morte de Duarte. Ema estranha que o filho se tenha abraçado a um desconhecido e dá por falta da moldura com a fotografia dela e de Zeca e começa a achar que aquele homem é o seu amigo do passado.

Zeca recupera o fôlego, olha para a foto que trouxe de casa de Ema, não entende como ela casou com um homem como Raul e recua até ao passado. Zeca recorda quando chega ao ferro velho e explica a Arnaldo (João Lagarto) que é seu sobrinho e que a mãe o mandou para ali. Arnaldo não fica contente e diz-lhe que para o deixa ficar, mas em troca terá de trabalhar. Zeca encontra um livro e fica fascinado com a história, mas Arnaldo destrói-o e convence Lina a dar trabalho a Zeca. Ele teme não ter tempo entre trabalhar no ferro velho e no restaurante. Zeca recolhe pratos, quando desmaia e o médico diz a Arnaldo que Zeca está muito cansado e que não devia trabalhar com aquela idade. Arnaldo desvaloriza e Eça convida Zeca para passar uns dias em sua casa, para descansar.

Eça recebe Zeca em sua casa e diz-lhe que já percebeu que ele gosta de livros. O jovem fica feliz por ter um amigo.

Raul janta com amigos e é rude com a empregada. Zeca vai para intervir, mas a empregada diz que não tem importância. Entretanto, Zeca é atraído por uma voz feminina que canta fado e vai ver quem é. Zeca fica encantado com a beleza da rapariga. Ela reconhece-o e sorri-lhe. Zeca fica pasmado quando percebe que é Ema. Arnaldo lembra o sobrinho de que tem de trabalhar.

Raul fica embasbacado com Ema, mas ela não lhe dá troco e ele fica irritado. Zeca salta em defesa de Ema e dá um murro a Raul. Ema diz que veio para ficar e que agora podem tomar conta um do outro e recuperar o tempo perdido.

Zeca e Ema estão deitados no relvado do parque. Ele lê um livro e ela ouve-o feliz. Zeca e Ema passeiam junto ao rio e ela confessa que sempre foi apaixonada por ele. Zeca beija-a com fervor e ela deixa-se levar, apaixonada.

Zeca fica apreensivo quando recebe uma chamada das irmãs e fica a saber que a mãe está doente. Depois, tenta convencer o tio a traze-la para o continente, para ser tratada.

Zeca espera ansioso pela família e abraça-as e vinca que agora nada os vai separar. Arnaldo recebe a família, mas logo se foca em Ema, arranja o pretexto de lhe ter arranjado uma audição, tranca a porta e agarra-a.

Zeca conversa com Eça sobre Ema ter ido embora, não entende o motivo e lembra-se de que o tio foi a última pessoa a estar com Ema e talvez ele tenha alguma pista.

Arnaldo finge-se surpreendido por Ema ter desaparecido e diz que não sabe de nada, mas que estranhou ela ter recusado ajuda para singrar na música e aconselha o sobrinho a esquecê-la.

Ema reza a uma santa, e percebemos que está grávida. Maria do Socorro gostava de saber quem é o pai da criança e Ema diz que quando a criança nascer vai a Lisboa. Nesse momento, rebentam-lhe as águas.

Zeca trabalha quando a música é interrompida por uma notícia, dando conta de um sismo na ilha do Faial. Zeca vai ter com Eça, este percebe que o amigo está preocupado com Ema e sugere-lhe que lhe ligue. Zeca recusa-se, por ela ter ido embora da maneira que foi.

Ema está num táxi a caminho do Bairro da Fortuna, quando houve a notícia sobre o sismo no Faial. O táxi se despista-se e embate num camião.

Célia (Sofia Ribeiro) passa pela rua com a sua filha morta nos braços, quando ouve o choro de um bebé e entra numa casa casa abandonada. Por impulso, decide trocar a sua filha morta por aquela bebé, que é na verdade a filha de Ema.

Zeca recebe uma carta de Ema onde vinca que tem algo para lhe contar, percebe que a carta foi escrita antes do sismo do Faial e decide ligar-lhe, mas o telefone está desligado e ele decide ir até aos Açores.

Zeca anda pelas ruas do Faial e fica impressionado com os estragos. Zeca pergunta a Célia por Ema e esta fica atrapalhada, pois tem ao colo a filha dela, que trocou pela sua e que agora se chama Joana (Catarina Rebelo).


Sobre «Amar Demais»

Quem nunca amou demais? Para todas as mulheres que lutam e tanto se sacrificam para educar bem os seus filhos. Para fazer deles pessoas à sua imagem, homens de bem.

Há quem esteja disposto a dar a vida, ou o seu tempo de vida, para salvar alguém, por amar mais... É assim Zeca, o protagonista. Uma pessoa dotada de valores, com um enorme sentido de justiça, que nem sempre escolhe o caminho provável para ajudar quem ama, mas que nunca tem dúvidas sobre o que é prioritário: proteger os seus. É isso que o leva à prisão, quando aceita dar-se como culpado por um crime que não cometeu em nome de outrem para salvar a vida da sua mãe.

Por a amar demais, Zeca abdica da sua própria liberdade, e do amor que Ema sente por ele. E quando percebe que foi enganado e que o seu sacrifício foi em vão, em vez de se revoltar, é resiliente. E prepara-se para o que será́ o dia do grande embate: o momento em que vai poder fazer justiça por tudo o que passou.

Zeca fica preso durante mais de 15 anos, mas quando sai está determinado a descobrir quem foram as pessoas que o traíram. Quer fazer justiça pelos anos perdidos, mas quer também provar a sua inocência. Quer ter o direito de recomeçar de novo, com a ficha limpa. E se para isso tiver de fazer algo que não deve no caminho, tudo bem: a pena já a cumpriu por antecipação.

Um homem que sabe bem o que quer, sem que isso o torne calculista, frio ou incapaz de sentir ou amar... Talvez isso seja o seu lado feminino a manifestar-se, fruto de ter crescido com uma mãe e quatro irmãs. Afinal, não dizem que as mulheres são feitas para aguentar todo o tipo de provações? Zeca é uma versão de calças destas mulheres lutadoras. O filho que se sacrifica pela mãe. O irmão protetor. O homem que pela mulher que ama roda o mundo. O pai que pela filha se descobre um novo homem, capaz da força de um leão.

Zeca é um hino às mulheres que o educaram, porque o mundo em que vivemos pode ser considerado ainda dos homens, mas é do ventre das mulheres que eles nascem, são elas quem os educam, são a sua maior influência. O que mostra que na realidade o mundo está nas mãos das mulheres, a quem compete fazer dos seus filhos: homens tolerantes, homens amorosos que as amem e respeitem acima de tudo, que as tratem como iguais.

O elenco conta com caras como Fernanda Serrano, Ricardo Carriço, Lia Gama, Maria Emília Correia, Estrela Novais, Ana Guiomar, Graciano Dias, Ana Varela, Sérgio Praia, Sofia Ribeiro e muitos outros.

 

Produção
José Retré
Direção de Projeto
António Correia
Realização
Joel Monteiro
Rafael Rahal
Roberto Roque
Rodrigo Duvens Pinto
Cenografia
Catarina Amaro
Produção Musical
António Lopes
Sonoplastia
Samuel Silva
Consultoria Geral
José Eduardo Moniz
Uma Produção Plural para a TVI
 

Ficha Técnica

Título Original: O passado negro de Ema
Categoria: Novela nacional
Favoritos

Partilhar

Relacionados

Últimos Episódios

Populares