EP 115 António deixa Fátima arrasada

Episódio 115

Seg, 20 set 2021 21:50 TVI

Neste episódio

Em «Festa é Festa»,Fernando (Manuel Marques) consulta dossiers preparando-se para a campanha. São (Sílvia Rizzo) exige que ele tenha um comportamento exemplar e Fernando não gosta daquela pressão. Fernando garante que está muito focado na campanha e ressalva que ele é que é o candidato. São lembra que só aceitou ficar em Portugal, caso fosse ela a mandar.

Tomé (Pedro Teixeira) está muito nervoso e considera que foi uma traição Girão estar a jogar pela equipa adversária. Bino (Pedro Alves) exige que Tomé faça alguma coisa. Tomé, desesperado, manda António (Luís Simões) entrar. Jorge (Manuel Melo) fica muito surpreendido e triste.

São (Sílvia Rizzo) quer que Fernando (Manuel Marques) assuma que, apesar de ser ele o candidato, quem vai mandar será ela. Fernando tenta impor-se e diz que isso não tem jeito nenhum e que não foi nada disso que combinaram. São não gosta de ser desautorizada e ameaça voltar para Paris. Fernando vê-se obrigado a fazer a vontade à mulher.

António (Luís Simões) já está a jogar e estão todos incrédulos com o talento dele. António faz um remate, mas Girão defende. A poucos segundos do fim do jogo, António remata e faz golo. Todos festejam eufóricos como se tivessem ganho a Champions. Até Bino (Pedro Alves) se junta aos festejos.

Os festejos passaram agora para o café. Tomé (Pedro Teixeira) está eufórico e diz que é o segundo dia mais feliz da vida dele. Tomé distribui acessórios de festa e diz que é bar aberto. Fátima (Marta Andrino) está muito orgulhosa de António (Luís Simões), mas sempre que ele tenta responder, é interrompido por alguém. Bino (Pedro Alves) serve-se de imperial e Tomé bufa.

João Maria (Ricardo Trêpa) anda desaustinado de um lado para o outro e quer saber porque motivo Ana Carolina (Beatriz Barosa) terminou o namoro com Carlos (Rodrigo Paganelli). João Maria acha inadmissível que Ana Carolina tenha deixado que um namorico tenha interferido na relação dela com a bisavó, logo agora que ela já estava dominada.

Corcovada (Maria do Céu Guerra) está sentada no sofá com um ar distante e triste. Florinda (Ana Brito e Cunha) percebe e senta-se ao lado dela. Florinda pergunta-lhe se está assim por causa das saudades da menina e Corcovada não responde, mas percebemos que sim. Corcovada diz que é bom sentir saudades, mas está triste com toda a situação. Florinda confessa que sempre achou que Carlos e Ana Carolina pertenciam a mundos diferentes, mas Corcovada diz que isso não quer dizer nada. Florinda tenta animar Corcovada e lembra que a festa está quase aí e que Ana Carolina deve aparecer.

Tomé (Pedro Teixeira) e Bino (Pedro Alves) disputam para dar um abraço a António (Luís Simões) e acabam por ser ultrapassados por outros populares. Eles conversam sobre o jogo e há um momento de cumplicidade entre os dois, mas logo de seguida voltam a discutir. Aida (Ana Guiomar) intervém e lembra que é dia de festa. Fátima (Marta Andrino) tenta falar com António (Luís Simões), mas é abalroada por um grupo de fãs de António.

Ana Carolina (Beatriz Barosa) fica indignada. Ana Carolina está indignada pelo pai achar que ela está interessada na herança da bisavó. João Maria (Ricardo Trêpa) avisa que é o único herdeiro de Corcovada (Maria do Céu Guerra) e manda a filha fazer as malas, pois vão até à Bela Vida, já que o aniversário da bisavó está a aproximar-se.

Carlos (Rodrigo Paganelli) chega com um ar abatido e entrega uma saca de batatas a Florinda (Ana Brito e Cunha). Ela pergunta-lhe porque não foi ao jogo de hóquei e mostra-se preocupada com o desânimo dele. Carlos diz que aquilo vai passar.

Bino (Pedro Alves) vê os panfletos para a campanha e não gosta da foto porque parece mais velho e também não gosta do slogan. Peixoto lembra que foi Albino que escolheu o slogan e a foto é a da cara dele esem photoshop. Aves (Hugo Sousa) tenta desdramatizar e diz que o povo gosta de ser governado por pessoas mais velhas.

As raparigas não largam António (Luís Simões) e Fátima (Marta Andrino) está entre o triste e o fula. Fátima chama António para lhe perguntar o que quer comer, mas ele diz que agora não pode. António pede a Fátima para limpar a bebida que se entornou no chão, para evitar que alguma fã caia. Fátima fica arrasada.Aida (Ana Guiomar) observa e percebe tudo.

Bino (Pedro Alves) insiste que parece mais velho no panfleto e Peixoto (Vítor Emanuel) justifica que usou Photoshop mas com um efeito naturalista, porque é o último grito na política. Bino fica pensativo, mas decide rasgar o panfleto e mandar tudo para trás. Aves (Hugo Sousa) diz que ele está mesmo feio, mas mesmo assim votava nele. Bino ri-se com tudo o que Aves diz.

O ambiente de festa continua, menos para Fátima (Marta Andrino) que está a um canto de esfregona na mão, a ver as raparigas de volta de António (Luís Simões). Aida (Ana Guiomar) percebe e diz que Fátima nunca ligou nenhuma a António e que agora que é famoso, é que se lembrou que ele existe. Ainda assim, Aida incentiva Fátima a tentar a sua sorte.


Sobre «Festa é festa»

Todos querem fazer um brilharete neste festejo, com vista à herança da idosa, não se poupando a esforços (tal como fazem há mais de vinte anos, mas a idosa não há maneira de se finar...), nomeadamente Albino, o figurão da aldeia, que é, nada mais, nada menos, que o Presidente da Junta. Presidente esse que é também o Presidente da Comissão de Festas. E o Presidente da Casa do Povo. E do Clube de Hóquei em Patins. E coveiro. E tudo, basicamente. Um pavão, que se acha o Marcelo da Aldeia. 

Assim, a festa que, supostamente, seria um motivo de concórdia entre toda a população, vai ser tudo menos isso, começando pela sua organização. Isto porque Tomé (dono do café da aldeia e o “Correio da Manhã” de serviço no que toca a coscuvilhices), o grande rival de Albino desde sempre, vai disputar com ele a presidência da comissão de festas, visto o ano passado competir-lhe a ele, mas a festa não se ter realizado por causa da pandemia. Só que Albino jamais lhe dará essa missão num ano tão simbólico, que pode ser o último de Corcovada. Mas, também, porque cedo recebem na aldeia a notícia de que a TVI vai transmitir a festa em direto. E é aqui que toda a aldeia vai querer dar o seu melhor, defendendo cada um dos intervenientes os seus interesses, mesmo que isso colida de frente com os dos outros. 

Também com vista na herança da idosa, em Lisboa, o neto falido da mesma (um “tio” lisboeta, meio pedante) tem o plano de enviar a sua filha (bisneta da idosa) para a aldeia, no sentido de conquistar e construir uma relação com a idosa, mas com a desculpa da filha ir “curar-se” de um enorme desgosto amoroso que acabou de ter, visto o namorado tê-la trocado pela sua melhor amiga. 

E eis que, quando uma jovem lisboeta, altamente cosmopolita e tecnológica... e queque, cai contrariada naquilo que considera um fim-de-mundo, nomeadamente por não ter shoppings, lifestyle e 4G só de vez em quando... 

Tem tudo para correr mal, não fosse a meio do processo encantar-se por um jovem aldeão, que pouco ou nada conhece fora daquela aldeia. Ou seja, duas pessoas de dois mundos completamente diferentes e antagónicos. Este jovem é filho de Albino, mas a antítese do pai. É um rapaz simplório, acólito, trabalhador, mas com uma falta de jeito (e experiência) gritante com as mulheres. Todavia, irá desde cedo sentir o seu coração a palpitar por Ana Carolina. 

Contudo, a chegada de uma família de emigrantes “filhos da terra”, vai agitar, não só a aldeia, como também o coração destes dois jovens, já que dessa família fazem parte os jovens irmãos gémeos, falsos, Louis e Vuitton, um rapaz e uma rapariga que irão despertar paixões em Ana Carolina e Carlos, respetivamente, criando dois triângulos amorosos tão surpreendentes, como inesperados. 

Inesperados serão também os acontecimentos que se sucederão nesta aldeia, cujos habitantes teimam em fazer de cada dia uma “aventura” diferente, com peripécias e conflitos, que parecem não ter fim. 

De forma humorada, pretende-se com Festa é Festa fazer um retrato do Portugal real, das raízes e cultura do seu povo, ficcionando temas do dia-a-dia da vida das pessoas, num universo tão português, como é a aldeia e o seu evento maior: a festa. 

E é assim, que esta aldeia tão portuguesa verá retratada, de uma forma totalmente abrangente e transversal, todos os temas das sociedades atuais, personalizado em pessoas que “se não existissem, tinham de ser inventadas”. 
Foi o caso...  

Ficha Técnica

Título Original: António deixa Fátima arrasada
Categoria: Novela nacional
Favoritos

Partilhar

Últimos Episódios

Populares